Navegação
  .: Página Inicial
  .: Tecido Epitelial
  .: Tecido Conjuntivo
  .: Tecido Ósseo
  .: Tecido Cartilaginoso
  .: Tecido Muscular
  .: Tecido Nervoso
  .: Sangue
  .: Pele
  .: Órgãos Linfóides
  .: Sist. Cardiovascular
  .: Sist. Respiratório
  .: Sist. Digestório
  .: Sist. Urinário
  .: Sist. Endócrino
  .: Sist. Genital Masc.
  .: Sist. Genital Femin.
  .: Links Sugeridos
Interação
  .: Entre em contato
  .: Projetos
  .: Quem somos

Tecido Conjuntivo 

Características:

  • Vários tipos celulares;

  • Abundante material intercelular (matriz extracelular).

    Matriz extracelular:

  • Substância fundamental amorfa (SFA):
    • Característica física: material gelatinoso, incolor e viscoso;
    • Composição química: glicosaminoglicanas (ác. Hialurônico), proteoglicanas e glicoproteínas;
    • Funções:
      • Preenche os espaços entre células e fibras;
      • Atua como lubrificante;
      • Previne a penetração de partículas e microorganismos nos tecidos (a viscosidade da SFA é dada pelo ác. hialurônico e é responsável pela barreira de penetração de partículas e microorganismos estranhos nos tecidos - bactérias com enzima hialuronidase penetram nos tecidos);
      • É veículo para difusão de substâncias hidrossolúveis (nutrientes) para dentro e fora dos tecidos por via sangüínea.
  • Fluido tecidual:
    • Corresponde à mínima quantidade de plasma liberado dos vasos sanguíneos;
    • Moléculas de água de composição do fluido ligam com as glicosaminoglicanas, constituindo a água de solvatação, que é veículo de transporte e difusão de nutrientes e outras substâncias hidrossolúveis.
  • Fibras colágenas:
    • São produzidas em um processo com dois estágios envolvendo eventos intracelulares e extracelulares: Aminoácidos (prolina e lisina) -> cadeias polipeptídicas (RER) -> adição de carboidratos (Golgi), construindo o procolágeno -> peptidases quebram moléculas eliminando para o exterior o procolágeno para transformar em tropocolágeno -> enrolamento e entrelaçamento de cadeias alfas 1,2 e 3 polipeptídicas, em hélice, formando a molécula de tropocolágeno -> fibrila de colágeno -> fibra colágena -> feixe de fibras colágenas.
        • Dependendo dos tipos de cadeia e das associações dos mesmos, podem-se ter diferentes tipos de colágenos;
        • O colágeno presente na matriz extracelular dos conjuntivos comuns é colágeno I;
        • Possui grande extensibilidade e resistência e confere grande flexibilidade e força aos tecidos que o contém.
  • Fibras reticulares:
        • São compostas por colágeno do tipo III associado com glicoproteínas;
        • São fibras extremamente finas;
        • Reações tintoriais: PAS + argirófilas (coram-se com sais de prata, alto teor de carboidratos);
        • Função: forma uma rede de arcabouço de sustentação em torno de células de certos órgãos: glândulas, fígado, rins, pulmão e pequenos vasos.
  • Fibras elásticas:
        • São fibras ramificadas que, algumas vezes, formam redes;
        • São compostas por microfibrilas das proteínas, elastinas e fibrina;
        • Possuem grande poder de distensibilidade;
        • Observadas ao MO com coloração especial, orceína e resorcina – fucsina.

Células do tecido conjuntivo

  • Incluem muitos tipos celulares com diferentes funções e que podem ser originadas localmente, permanecendo no tecido conjuntivo fixas ou serem originadas fora, permanecendo no conjuntivo apenas temporariamente (células móveis).
  • Fibroblasto (fixa)
    • Origina-se de células mesenquimais indiferenciadas;
    • São predominantes no tecido conjuntivo;
    • Podem apresentar-se nas formas:
      • Fibroblasto ativo:
        • Forma fusiforme com prolongamentos citoplasmáticos numerosos;
        • REG e Complexo de Golgi bem desenvolvidos;
        • Núcleo ovulado de cromatina frouxa e nucléolo bem evidente;
        • Função: síntese de procolágeno.
      • Fibroblasto quiescente (fibrócito):
        • Menores, mais achatados e quase sem prolongamentos comparados aos ativos;
        • REG e Complexo de Golgi menos desenvolvidos;
        • São sinteticamente inativos.
    • Obs.: fibroblastos e fibrócitos são dois estágios funcionais diferentes da mesma célula, sendo que os fibrócitos podem reverter ao estagio ativo se estimulado (durante a reparação de lesões, por exemplo).
  • Pericitos (fixa)
    • São derivadas das células mesenquimais indiferenciadas e permanecem com o papel pluripotencial (capacidade de originar diferentes tipos celulares) das células mesenquimais;
    • São menores que os fibroblastos e estão localizados nas proximidades dos vasos sanguíneos;
    • Função: reposição das células do conjuntivo (não-degeneradas ou degeneradas);
  • Células adiposas:
    • São derivadas das células mesenquimais indiferenciadas;
    • São responsáveis pela síntese e armazenamento de gorduras neutras;
    • Podem formar duas formas de tecido:
      • Células adiposas uniloculares:
        • Possuem núcleo e citoplasma restritos a uma delgada faixa que contorna grande gotícula lipídica que ocupa todo citoplasma;
        • As gotículas lipídicas não são separadas do citoplasma por membrana;
        • As gorduras são armazenadas sob forma de triglicerídeos e gorduras neutras.
      • Células adiposas multiloculares:
        • Apresentam múltiplas gotículas lipídicas dispersas pelo citoplasma;
        • Possuem numerosas mitocôndrias geradoras de calor importantes nas fases iniciais da vida do indivíduo (estando presentes nos recém-nascidos)
        • Praticamente desaparecem no adulo, vindo a constituir um estágio inicial de armazenamento de gordura.
      • Macrófagos:
        • Origina-se na medula óssea como monócito, este circula no sangue e migra para o tecido conjuntivo onde passam a constituir macrófagos imaturos e funcionantes que junto ao monócito compõe o Sistema Macrofágico Mononucleares (elementos circulares cuja circulação pela corrente sanguínea e distribuição nos diferentes tecidos conjuntivos recebem diferentes denominações).

         

  • Sistema macrofágico mononuclear

 

 

 

Compartimento medular

 

 

 

Célula-tronco pluripotencial

V

Célula-tronco unipotencial

V

monoblasto

V

Monócitos

V

Compartimento sanguíneo

Monócitos circulares

V

 

 

 

Compartimento tecidual

Macrófagos

Do tecido conjuntivo comum;

Das cavidades serosas (macrófagos peritoniais);

Dos órgãos hemocitopoéticos;

Células de Küpffer (macrófago do fígado);

Macrófagos alveolares (células de poeiras do pulmão);

Micróglia (sistema nervoso central).

      • São geralmente esféricos;
      • Possuem pseudópodos, vacúolos fagocíticos, lisossomos e corpos residuais quando ativados, o que caracteriza a sua função fagocítica.
      • Podem funcionar quando estimulados – células gigantes tipo corpo estranho;
      • Em condições normais se encontram fixos as fibras do tecido conjuntivo;
      • Em condições patológicas tornam-se móveis;
      • Funções:
        • Células fagocitárias mais ativas do tecido conjuntivo;
        • Participam da resposta imunológica, como células apresentadoras de antígenos;
        • Secretam substancias que funcionam na reparação tecidual.
    • Linfócitos:
      • Núcleo volumoso e esférico ocupando quase a totalidade do citoplasma;
      • Cromatina frouxa;
      • Escasso citoplasma;
      • São derivadas das células tronco-linfocitárias;
      • Estão distribuídos no organismo através dos tecidos conjuntivos subepitelial (sistema respiratório, digestório e áreas de inflamação crônica);
      • Apresentam duas classes funcionais:
        • Linfócitos T: responsáveis pela resposta imunológica do tipo celular;
        • Linfócitos B: após ativação apresentado pelos macrófagos – plasmócitos. Resposta imunológica do tipo humoral.
    • Plasmócitos:
      • Originam-se dos linfócitos B;
      • Possuem forma ovóide com núcleo excêntrico com grumos heterocromatina periféricos (roda de carroça);
      • Complexo de Golgi bem desenvolvido;
      • Grande concentração de RE;
      • Síntese de imunoglobulina (anticorpos).

Tipos de tecidos conjuntivos: ·       

  • Tecido conjuntivo propriamente dito:
    • Frouxo:
      • Preenche espaços entre grupos de células musculares, suporta células epiteliais e forma camadas em torno dos vasos sanguíneos;
      • As células mais numerosas são os fibroblastos e os macrófagos;
      • Tem uma consistência delicada, é flexível, bem vascularizado e não muito resistente a trações.
    • Denso:
      • Oferece resistência e proteção aos tecidos;
      • Predominância de fibras colágenas;
      • Menos flexível e mais resistente;
      • Não modelado:
        • Quando as fibras são organizadas em feixes sem orientação definida;
        • As fibras formam uma trama tridimensional, o que lhes confere certa resistência às trações exercidas em qualquer direção;
        • Encontrado na derme profunda da pele.
      • Modelado:
        • Quando os feixes de colágeno estão paralelos e alinhados com os fibroblastos;
        •  Presente nos tendões.
  • Tecido conjuntivo de propriedades especiais:
    • Tecido adiposo:
      • Maior depósito corporal de energia, sob forma de triglicerídeos;
      • Predominância de células adiposas (adipócitos);
      • Tecido adiposo comum, amarelo ou unilocular:
        • As células, quando completamente desenvolvidas, contêm apenas uma gotícula de gordura que ocupa quase todo citoplasma;
      • Tecido adiposo pardo ou multilocular:
        • Formado por células que contêm numerosas gotículas lipídicas e muitas mitocôndrias.
    • Tecido elástico:
      • Composto por feixes espessos e paralelos de fibras elásticas;
      • Cor amarelada;
      • Grande elasticidade;
      • Presente nos ligamentos amarelos da coluna e no ligamento suspensor do pênis.
    • Tecido reticular:
      • É muito delicado e forma uma rede tridimensional que suporta as células de alguns órgãos;
      • Constituído por fibras reticulares intimamente associadas com células reticulares (fibroblastos especializados).
    • Tecido mucoso:
      • Consistência gelatinosa graças à predominância de matriz fundamental composta predominantemente e acido hialurônico com poucas fibras;
      • As principais células são os fibroblastos;
      • Principal componente do cordão umbilical, onde é referido como geléia de Wharton.
      • Encontrado também na polpa jovem dos dentes.
  • Tecido conjuntivo de suporte:
    • Tecido cartilaginoso:
      • Desempenha a função de suporte de tecidos moles, reveste superfícies articulares, onde absorve choques e facilita o deslizamento dos ossos nas articulações;
      • É essencial pra a formação e o crescimento dos ossos longos, na vida intra-uterina e depois do nascimento;
      • Contém células, os condrócitos, e abundante material extracelular, que constitui a matriz;
      • As cavidades da matriz, ocupadas pelos condrócitos, são as chamadas lacunas;
      • Não possui vasos sanguíneos, sendo nutrido pelos capilares do conjuntivo envolvente (pericôndrio);
      • Também é desprovido de vasos linfáticos e nervos;
      • Cartilagem hialina:
        • É a mais comum e cuja matriz possui delicadas fibrilas constituídas principalmente de colágeno do tipo II;
      • Cartilagem elástica:
        • Possui poucas fibrilas de colágeno tipo II e abundantes fibras elásticas;
      • Cartilagem fibrosa:
        • Apresenta matriz constituída preponderantemente por fibras de colágeno tipo I.
    • Tecido ósseo:
      • Formado por células e material extracelular calcificado, a matriz óssea;
      • As células são os osteócitos, que se situam nas lacunas, os osteoblastos, produtores da parte orgânica da matriz e os osteoclastos, células gigantes, móveis e multinucleadas que absorvem o tecido ósseo, participando do processo de remodelação dos ossos;
      • A nutrição dos osteócitos depende de canalículos que existem na matriz e que possibilitam as trocas de moléculas e íons entre capilares sanguíneos e os osteócitos;
      • Os revestimentos internos e externos são respectivamente os periósteos e os endósteos;
      • Funções:
        • Suporte para as partes moles;
        • Protege órgãos vitais;
        • Aloja e protege a medula óssea;
        • Proporciona apoio aos músculos esqueléticos;
        • Constitui um sistema de alavancas que amplia as forças geradas na contração muscular;
        • Funciona como depósito de cálcio, fosfato e outros íons.

         

     Referência Bibliográfica:

JUNQUEIRA L. C.; CARNEIRO, J. Histologia Básica. 10ª ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.

Raquel Soares Reis

Buscar na Web por:
Powered by Google
Publicidade:
 
 
 
Layout por:
Histologia FCM - Desenvolvido e mantido por Jonathan Feroldi